Lidar com inadimplência na pandemia pode ser um desafio. Existem pessoas e empresas que aproveitam os momentos de crise para lucrar como nunca, mas isso não acontece com todos. A grande maioria sai prejudicada dos períodos difíceis de um ano, ainda mais em algo tão grave quanto aconteceu em 2020. Por isso, aprender a lidar com a inadimplência na pandemia é importante, já que muitas contas podem ter ficado em atraso.

E empresas que ficam sem receber neste momento podem apresentar crise e prejudicar ainda mais todo o sistema. Por isso, os empreendedores e gestores precisam encontrar soluções eficazes, capazes de fazer com que boa parte dos devedores realize os pagamentos. Lidar com a inadimplência na pandemia não é algo fácil.

Ao mesmo tempo que a empresa precisa encontrar uma maneira de realizar as cobranças, isso deve ser feito com cautela. Afinal, na maioria das vezes o cliente deixou de pagar por algum motivo específico, não foi porque simplesmente não quis. Quer saber mais sobre o assunto que é delicado? Então confira todos os detalhes a seguir!

Bancos ofereceram uma pausa em financiamentos e empréstimos

Como lidar com a inadimplência na pandemia .

Nem todas as pessoas possuem condições financeiras para comprar um imóvel à vista, por isso recorrer ao financiamento imobiliário é a única opção para realizar o desejo de ter a cada própria. Além disso, algumas pessoas gastam mais do que ganham por mês, ficam endividadas e precisam recorrer a empréstimos. São duas situações muito comuns no Brasil.

Em meio a pandemia de Covid-19, bancos e financeiras proporcionaram o adiamento no pagamento de parcelas e até mesmo renegociação de dívidas em atraso. Assim, algumas das instituições financeiras permitiram que os pagamentos fossem adiados entre 2 e 6 meses. Para isso, o cliente apenas deveria solicitar o benefício.

(atualizado em 19/mar/2021)

A Caixa anunciou que não vai renovar a pausa no financiamento. A medida, concedida em março, no início da pandemia, foi renovada três vezes. A última renovação foi no fim de julho, válida por dois meses. Com isso, o cliente teve a possibilidade de ficar sem pagar as parcelas por 180 dias. Esses valores serão diluídos ao longo do restante do financiamento.

A pandemia deixou milhões de brasileiros inadimplentes

Milhões de pessoas ficaram desempregadas no Brasil, já que muitas lojas tiveram que fechar durante a pandemia. Funciona mais ou menos assim:

  • O governo determinou o fechamento do comércio;
  • As pessoas pararam de comprar em lojas físicas;
  • As empresas realizaram demissões;
  • Pessoas ficaram sem dinheiro;
  • E com isso pararam de fazer compras, prejudicando mais negócios.

As medidas de prevenção estão corretas, embora o número de combinados tenha continuado a aumentar ao longo de 2020. A falta de dinheiro fez com que 91 milhões de brasileiros deixassem de pagar suas contas em dia em abril. E esse número representa 58% da população economicamente ativa do país.

Não que todas elas tenham perdido seus empregos, não foi isso que aconteceu. Mas, por exemplo, se um dos membros do grupo familiar ficar desemprego, o orçamento já não será mais o mesmo. Esse é um período complicado, onde muitas pessoas realmente tiveram que quebrar a cabeça para pagar as contas no fim do mês.

Inadimplência na pandemia: muitos possuem suas prioridades

Cada caso é um caso, mas existem algumas prioridades que podem ser percebidas. Assim, alguns podem pensar em conservar o dinheiro disponível para gastos emergenciais, como a alimentação e saúde. Mas, o melhor caminho possível é apertar o cinto e deixar de gastar.

Alguns que perderam o emprego precisam ter ainda mais cuidados neste momento, principalmente se estiverem sem dinheiro guardado. O ideal é que a pessoa avalie a sua situação financeira, para pagar primeiro aquelas contas que possuem juros mais elevados. Afinal, isso pode virar uma bola de neve.

O endividamento durante a pandemia é puxado principalmente pela classe C, que ficou sem acesso ao auxílio emergencial e aos programas de transferência de renda. Atualmente, mais de 50 milhões de brasileiros fazem parte da “elite” da classe C, que tem renda familiar entre R$ 3.135 e R$ 6 mil por mês.

Ofereça promoções aos clientes

As empresas podem apostar nas promoções para os clientes inadimplentes, com o objetivo de fazer com que eles paguem as parcelas em atraso. De fato, nem todas as pessoas deixaram de fazer pagamentos por estarem sem dinheiro. Algumas, que ainda não fazem pagamentos por internet banking, podem apresentar medos.

Por exemplo, em muitos lugares do Brasil as empresas de energia elétrica continuam mandando a fatura todos os meses para a casa dos consumidores. E eles precisam ir até as lotéricas para que possam realizar os pagamentos. Mas, com medo da contaminação, muitos acham que não há problemas em atrasar o pagamento.

Esse exemplo da conta de luz foi algo básico, já que todos sabem que após alguns meses sem pagamento a energia é cortada. Contudo, é algo que pode acontecer no caso de pessoas que costumam fazer compras em carnês, daqueles que só podem ser pagos nas lojas. Nestes casos, a chance de não pagamento é maior.

Por isso, avaliar o histórico desses consumidores e identificar qual é o perfil, pode ser uma boa ideia para o seu negócio. Em seguida, entre em contato e ofereça a promoção, possivelmente ficará interessado.

Adote o tele-pagamento para evitar a inadimplência na pandemia

Nos últimos anos nos acostumamos a fazer pedidos pela Internet e receber os produtos em nossas casas alguns dias depois. Além disso, a entrega de comidas no modo delivery conquistou muitos fãs país afora. É bem verdade que o nosso sistema de entrega ainda é lento, não chega nem perto dos Estados Unidos, mas é algo que pode ser explorado.

Levando isso em consideração, por que não adotar o tele-pagamento na sua empresa? Isso quer dizer que assim que o motoboy chegar com o produto, poderá realizar a cobrança. Ou mesmo a pessoa agendar essa ação, e então o profissional ir até lá com a maquininha apenas para executar a cobrança.

As pessoas mais velhas, que já possuem problemas de saúde, e que não possuem ninguém próximo para realizar essas atividades podem estar com débitos por medo. Lidar com a inadimplência na pandemia requer algumas novas estratégias, e executar esse estilo de pagamento é uma delas.

Foque nos clientes de alta renda

Realmente, muitas pessoas não terão como realizar os pagamentos durante a pandemia, a menos que arrumem um novo emprego. São diversos fatores capazes de fazer com que as parcelas não sejam pagas em seus dias corretos. Mesmo assim, o empreendedor precisa de dinheiro no caixa, para manter as atividades da empresa.

Pensando nisso, uma das melhores ideias é pensar nos clientes inadimplentes que possuem renda mais alta. Assim, tente aplicar as alternativas que já apresentamos ao longo do texto, para estimular essas pessoas a realizarem pagamentos. Mas, se for possível, foque principalmente naqueles que possuem mais recursos.

Conheça a Fix!

A plataforma de serviços que conecta seus clientes aos melhores prestadores de serviços para consertos, reparos, instalações e manutenções.

O que achou do conteúdo? Deixe a sua opinião nos comentários e interaja conosco pelas redes sociais!




Dicas relacionadas:

saiba-quais-termos-digitais-sua-imobiliaria-precisa-conhecer
Saiba quais termos digitais sua imobiliária precisa conhecer

Conheça os principais termos digitais do mercado e alinhe aos seus objetivos de negócios no ambiente digital para alavancar sua Read more

a-transformacao-digital-impactou-os-corretores-de-imoveis-corretor-casa
A transformação digital impactou os corretores de imóveis?

Os corretores de imóveis estão atentos à transformação digital do mercado imobiliário? Novas oportunidades não param de aparecer.