Pesquisas revelam tendências de comportamento do consumidor e sua aproximação com a vida em casa

Entre as diversas mudanças trazidas pela pandemia do Covid-19, a forma como nos relacionamos com nossas casas certamente foi uma delas – e dados já evidenciam essa transformação. Seja no crescimento da adoção de novas tecnologias, como dispositivos smart home, ou na reformulação e adaptação do ambiente em que vivemos, as informações abaixo vão te mostrar que há muito a se observar com base no nascimento de algumas tendências e o fortalecimento de outras.

Casas conectadas em ascensão

Segundo pesquisa feita pelo DataReportal 2021, cerca de 5.5% dos brasileiros já possuem um dispositivo smart home e a penetração destes itens cresceu em mais de 15% se comparado a 2019. Além disso, a procura por reformas, decoração e casa conectada também aumentou na quarentena.

Diversos dados evidenciam o crescimento das casas conectadas. Segundo a Associação Brasileira de Automação Residencial e Predial (Aureside), o uso de dispositivos de IoT para casas inteligentes deve crescer 20% até 2023. Além disso, um importante movimento foi a entrada em vigor da lei que promove incentivos e benefícios tributários à chamada Internet das Coisas (IoT, do inglês Internet of Things), o que também deve acelerar a automação das residências no país.

Uma pesquisa global conduzida pelo Life at Home Research – Ikea em 2020 conta que na turbulência em que vivemos, 78% das pessoas pesquisadas que ficaram em suas casas concordam que o lar funcionou como um santuário durante as restrições da pandemia do Covid-19.

Como resultado, duas a cada cinco pessoas fizeram mudanças em suas casas. O que isso nos diz sobre como as pessoas querem viver agora e o futuro da vida em casa?

Reformas e manutenções: uma tendência que se fortalece

quanto-a-pandemia-mudou-a-forma-como-nos-relacionamos-com-nossas-casas-mesa-projeto

A pandemia trouxe diversas mudanças no comportamento do consumidor. Por acabar passando mais tempo em casa, muitos sentiram a vontade – ou até necessidade – de realizar melhorias. Dados da Fix mostram que no ano de 2020 houve um grande crescimento na digitalização de compra, venda e reforma de imóveis: mais de 300% de aumento no volume de chamados na plataforma no comparativo com 2019, seja para realização de reformas, manutenções ou até mesmo iniciativas para valorizar o imóvel. Além disso, segundo a Anamaco (Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção), a venda de materiais cresceu pelo menos 40% na pandemia.

A pesquisa da Life at Home Research ainda mostrou que para um terço dos pesquisados, em 2018 existiam outros lugares em que se sentiam mais em casa do que no espaço em que viviam. Com o atual cenário, desde 2020 passamos a demandar do ambiente que vivemos coisas que antes não importava, como melhor divisão de espaço de trabalho, lazer, melhorias estruturais, manutenções que antes eram postergadas, entre outros.

Um levantamento realizado em outubro de 2020 pela agência Corebiz mostra que e-commerces do segmento de casa e construção tiveram receita de R$ 9,7 milhões no mês. Isso representa uma alta de 107%, em relação ao mesmo período de 2019.

Tendências na estrutura do lar: o que observar na locação e venda de imóvel

quanto-a-pandemia-mudou-a-forma-como-nos-relacionamos-com-nossas-casas-entregando-chave

A pesquisa da Life At Home mostra que mais quartos – ou mesmo mais espaçosos – não estão mais no topo dos desejos. A experiência de trabalhar e viver com mais flexibilidade em casa fez com que as coisas que muitos de nós considerávamos mais importantes em uma boa casa mudassem.

Entre os três principais desejos de mudança em suas casas durante 2020, 38% gostaria de um espaço para praticar hobbies e outros interesses, 35% deseja um jardim privado ou espaço a céu aberto e 33% prefere investir em um espaço para trabalho e estudo. Seja qual for nossa experiência com as restrições da pandemia, seu impacto tem feito com que muitos reavaliem o que realmente torna um lar bom.

Há três prioridades chave nesse novo momento: tempo para viver de forma equilibrada, mais acesso à natureza – como espaços verdes e jardins, e espaço para nós e para todas as pessoas com quem vivemos – e com privacidade. Ainda segundo a pesquisa, passamos a valorizar ainda mais a privacidade, o conforto, o controle, o senso de pertencimento e a segurança. Logo, é possível entender que passaremos a observar mais a estrutura do imóvel ao alugar ou comprar para ver se atende às novas necessidades e vontades.

Outro dado interessante que poderá refletir no mercado de locação e venda de imóveis em breve é o fato de quase 50% dos entrevistados consideraram se mudar de seu atual local de trabalho para uma casa melhor. Isso, combinado a uma projeção de crescimento de até 10% no mercado imobiliário neste ano, pede atenção.

Há muito em jogo quando estamos decidindo entre alugar ou comprar um imóvel e tudo isso que estamos vivendo acrescentou novos olhares para este momento de decisão, bem como novas tendências a serem observadas e estudadas.

Se você tem ideias para adequar sua casa – ou ambiente de trabalho – para viver com mais conforto nesse novo momento, conte com a Fix para te apoiar! De pequenas reformas a reparos e manutenções.

quebrou queimou estragou? chame a fix, baixe o app




Dicas relacionadas:

6-dicas-imperdiveis-para-deixar-seu-lar-mais-aconchegante-sala-fix
6 dicas imperdíveis para deixar seu lar mais aconchegante

Dicas para deixar seu lar aconchegante. Confira essas dicas da Fix para se inspirar e trazer um pouco de mudança Read more

os-assistentes-virtuais-vao-tomar-conta-da-nossa-casa-iluminaria-mulher
Os assistentes virtuais vão tomar conta da nossa casa?

Assistentes virtuais para casas inteligentes são lugares onde a tecnologia e a automação te auxiliam com todo tipo de trabalho.